Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

Aplicação do conceito de MANEJO AMPLIADO da AMAMENTAÇÃO em um MUNICÍPIO

Por: Dr. Luís Alberto Mussa Tavares

Modelo experimental de Manejo Ampliado da Amamentação a ser implementado nas Unidades Básicas de Saúde do município de São João da Barra, RJ  

 

 

ALEITAMENTO MATERNO

 

Ao mesmo tempo alimento e poesia,

Fermento sólido para a maternagem,

Para a articulação temporo-mandibular, um guia,

Para a família, motivo de tietagem,

 

Tese de doutorado para a Pediatria,,

Prova de fogo para a equipe de Enfermagem,

Para os alunos , uma minimonografia,

Para a mãe o pai e o filho, uma viagem...

 

Ao mesmo tempo poético e cientifico,

Instintivo, cultural, técnico, mítico,

É um misto de vontade com virtude...

 

Fonte da vida por ele preservada,

Força titânica em veste delicada,

Mapa da fonte da juventude...

 

 

 

Justificativa

A intensidade da agressividade com que a cultura do desmame avança sobre todos os níveis da sociedade, atuando em inúmeras frentes de ação tem resultado, através dos anos, na sedimentação do conceito do uso da fórmula como atitude natural e do uso dos bicos como hábito necessário.

Os meios de comunicação, sem se darem conta da imensa irresponsabilidade como agem, divulgam nas suas linhas e entrelinhas hábitos orais nocivos à saúde.

As Escolas carecem de um programa mínimo de orientação em relação à Amamentação.

O resultado desta nebulosa conjunção é uma população culturalmente oprimida e massificada pelo marketing agressivo daquilo que já foi chamado “desnutrição comerciogenica”.

Interferir nessa corrente maléfica é um trabalho imenso e envolve parâmetros clínicos e comportamentais, uma vez que o padrão “desmame” tem sido adotado como norma de comportamento por inúmeras faixas sociais de nossas culturas locais.

A capacitação de elementos institucionais já existentes e funcionando normalmente para sua utilização como mecanismo de contracorrente desta tendência é uma opção barata, eficaz e otimizadora da função publica como agente promotor da saúde em seu sentido mais amplo.

O conceito de manejo ampliado da amamentação inclui a elaboração de políticas que implementadas possam permitir o recuo do desmame como norma e a infusão na sociedade que as adota dos conceitos da amamentação como elemento único e incomparável de qualidade de vida materno-infantil-familiar.

É o que tenta aplicar esta o objeto desta atual minimonigrafia: os conceitos do manejo ampliado em prol do benefício social.   

Objetivo

O objetivo desta política ora apresentada é municiar através de ação de instrução os funcionários que atuam nas diversas Unidades de Saúde, gerando agentes capacitados a identificar e interferir nas dificuldades de amamentação detectadas de maneira alinhada e de acordo com as diretrizes consensuais mundialmente aceitas em relação à amamentação.

A interferência deste grupo de funcionários sempre se fez de modo desordenado e descontrolado, sendo agente de carreamento de informações imprecisas e mesmo errôneas e, o que é mais grave, geradas dentro das próprias instituições de saúde criadas para promover a saúde e nunca para acelerar a doença, o dano e o mal evitável.

 A utilização do aparelho disponível, além do baixo custo para o poder gestor, resulta na otimização do funcionamento deste.

 

Local onde o programa/projeto será desenvolvido

São João da Barra é um pequeno município com aproximadamente 500 km2 e pouco menos de 30.000 habitantes, localizado no norte do estado do Rio de Janeiro.

Tem na pesca e no turismo praiano suas principais atividades comerciais.

O sistema publico de saúde tem na rede ambulatorial sua principal força. São cinco unidades localizadas na área central e seis na chamada zona rural, ou quinto distrito. As Unidades rurais mantém contato constante com a Secretaria de Saúde através de um eficiente sistema de ambulâncias e contatos telefônicos diários. Ocupam as Unidades básicas um numero aproximado entre 200 e 300 funcionários, incluindo ai os agentes municipais de saúde. Menos de 20% desse efetivo possui formação técnica especifica na área da saúde.    

 

Metodologia/ferramentas/processos/estratégias que serão utilizadas

O objetivo desta ferramenta de Manejo Ampliado é capacitar em cada uma das Unidades centrais e distritais do município de São João da Barra seus elementos humanos a fim de que possam identificar e intervir nas dificuldades de amamentação de forma harmoniosa e alinhada com os parâmetros mundialmente aceitos, contribuindo para a geração de uma corrente anti desmame precoce.

A metodologia é ensinar, e ensinando, prover.

Ensinar e capacitar, esta é a palavra de ordem.

As ferramentas de ensino estão disponíveis através das publicações disponibilizadas pela grande rede em sites como os da Organização Mundial da Saúde, Aleitamento.com, Ministério da Saúde, Amigas Do Peito, PUCPR, Blog Síndrome de Estocolmo, Lista l-materno, SENAC, Academia Espanhola de Pediatria, entre outros.

Materiais didáticos, imagens, discussão de casos e fatos,  exercícios de fixação, atualizações continuadas: estes são o substrato com o qual se preparará inicialmente um  Caderno de Amamentação contendo a sumula geral dos princípios básicos do manejo Clinico da amamentação. A importância do Caderno é materializar a ação, transformando esforço e dedicação em documento palpável, copiável e preservável.

Este Caderno, além da orientação básica, servira de elo para a elaboração de  encontros presenciais de acordo com a opção que cada Unidade se lhe fizer parecer mais adequada, a saber:

 

1.      Mini curso de 3 horas: abordando os passos do Manejo básico da amamentação conforme manual da UNICEF preconiza

2.      Discussão de temas: A Unidade de Saúde escolhe para debater um tema especifico de seu interesse

3.      Discussão de casos clínicos: A Unidade de Saúde escolhe para debater um caso clinico de seu interesse.

4.      Outra modalidade a ser escolhida pela Unidade de Saúde.

Este processo é continuado e permanente, objetivando com isso manter atualização e informação na ordem do dia.

A sede do programa será a atual Casa da Gestante, espaço físico mantido pela PMSJB na área central do município destinado ao abrigo de gestantes com dificuldades de ir e vir às consultas (de seu local de origem à sede do município.)

A Casa da Gestante passa assim a oferecer apoio continuado a todos os profissionais de Saúde do município, ampliando sua ação sem descaracterizar sua função de abrigo para o que foi inicialmente idealizada.

Cronograma de desenvolvimento

O Modelo apresentado tem aplicabilidade simples e quase imediata.

Uma vez impresso o Caderno de Amamentação, sua distribuição oferece alem de subsidio teórico, fonte de discussão entre os diversos funcionários das Unidades.

Em 30 dias o Caderno fica pronto.

Após 7 dias, amplamente distribuído.

A cada 120 dias todas as unidades serão visitadas.

Semanalmente a Casa da Gestante sediará discussão e estudos.

Tempo previsto para o fim do Programa: indeterminado.

 

Custo do Modelo adotado

O custo da aplicação desta metodologia esta praticamente restrito à publicação do Caderno de Amamentação (em anexo).

As visitas acertadas com os postos e a visita semanal na Casa da Gestante terão como referencial, além do Caderno, textos já amplamente divulgados pela internet, de livre utilização, como o curso do SENAC, não oferecendo aumento de gastos para a municipalidade.

 

Medição do impacto da “intervenção”

A mensuração da efetividade da intervenção ora proposta deverá se dar quando o trabalho de avaliação dos índices de amamentação no município for realizado e for feita a comparação entre estes e aqueles outros que antecederam o inicio da ação.

A boa resposta deverá interferir na diminuição dos índices de desmame precoce bem como do uso de bicos artificiais. Os resultados eventualmente ruins merecerão intensificação da ação bem como implementação de medidas acessórias de informação e marketing amamentista.

    

Referências bibliográficas

 

1.      www.aleitamento.com

2.      www.aeped.es

3.      www.cdc.gov/breastfeeding/

4.      www.who.int/es/

5.      www.breastcrawl.org/index.html

6.     www.sindromedeestocolmo.com/archives/amamentacao.html

7.     www1.sp.senac.br/terceirosetor/amamentacao/mainindex1.htm

 

Este artigo foi apresentado como

Mini-Monografia de conclusão do

I CURSO de MANEJO AMPLIADO da AMAMENTAÇÃO

organizado pelo site www.aleitamento.com

em agosto/setembro de 2007.

 

 
 


Última atualização: 9/2/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital