Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

MÃES que AMAMENTAM: RECONHECIMENTO ECONOMICO

Por: Jacqueline Maley

MULHERES SÃO VALORIZADAS ECONOMICAMENTE POR ESTAREM AMAMENTANDO

 

Mães sintam-se orgulhosas – seus peitos representam US$ 2,2 bilhões* por ano para a Austrália. Um novo estudo sobre amamentação feito pela secretaria de saúde do Estado de New South Wales - NSW, afirma que as mulheres são produtoras de alimentos, como os agricultores, e que, bombas elétricas não devem pagar imposto sobre as vendas, bem como outros equipamentos para ordenha.
A pesquisa, que será a base para uma nova política de amamentação a nível estatal, lista os benefícios em termos de saúde, meio-ambiente e econômicos que aporta a amamentação. Recomenda que as mães alimentem seus filhos só com leite materno até os 6 meses de forma exclusiva, e promove a amamentação parcial até os 12 meses, um ano menos do que as recomendações da OMS.
"Ter em conta o aspecto econômico ajuda a respaldar o argumento de por que necessitamos promover e apoiar o aleitamento materno", afirmou Liz Develin, gerente de nutrição e atividade física da Saúde de NSW. "É incrivelmente caro alimentar os lactentes com leite artificial. Além de que existe o gasto de atenção de saúde que a amamentação evita".
Está provado que a amamentação protege contra doenças, desde otites até diabetes e obesidade, disse Liz Develin. Para as mães, a amamentação reduz o risco de certos cânceres e o risco em longo prazo de fraturas de quadril, por Osteoporose.
O informe sobre amamentação se baseia nas análises econômicas da Dra. Julie Smith, da Universidade Nacional da Austrália, que calculou que as mães australianas produzem aproximadamente 34 milhões de litros de leite por ano. O valor do leite materno foi calculado tendo como base o seu valor nos Bancos de Leite Humano da Europa.
A Dra. Smith calcula que o "valor de capital" – valor total presente e futuro – da amamentação é de US$ 37 bilhões de dólares australianos. Se as mulheres australianas amamentarem de acordo com as recomendações da OMS, este valor aumentaria até US$ 100 bilhões de dólares australianos, de acordo com a Dra. Smith.
"A economia deve tratar do uso eficiente dos recursos", disse. "Neste momento estamos desperdiçando recursos produzindo leite artificial, e no fato de pediatras atendem bebês que adoecem por não serem amamentados".
A Dra. Smith disse que a avaliação econômica é outra maneira de demonstrar que o trabalho das mães é valioso. "Todos reconhecemos que a amamentação é mais que administração de leite materno é transmissão de amor. Porém ainda há pessoas que não entendem esta linguagem".

* 1 dólar australiano = 0.79 dólares americanos

 
Traduzido por Marcus Renato de Carvalho especialmente para www.aleitamento.com

 
Aussie mums breasts worth $2.2b

By Jacqueline Maley
March 17, 2005

 

Mothers, stand proud - your breasts are worth $2.2 billion dollars a year to Australia. A new NSW Health study of breastfeeding says mothers are food producers, like farmers, and breast pumps should be GST-free, just as cow-milking equipment is.

The report, which will form the basis of a new statewide breastfeeding policy, lists the health, environmental and economic benefits of breastfeeding. It recommends mothers feed infants only breast milk to the age of six months, and promotes partial breastfeeding until 12 months, one year less than World Health Organisation guidelines.

"Looking at the economics helps support the argument of why we need to encourage and support (breastfeeding)," said Liz Develin, manager of nutrition and physical activity at NSW Health. "Its incredibly expensive to feed babies formula. Then theres the cost of healthcare services that breastfeeding prevents."

Breastfeeding has been proven to protect against illnesses, from ear infections to diabetes and obesity, she said. For mothers, breastfeeding reduces the risk of certain cancers and the long-term risk of hip fractures.

AdvertisementAdvertisement

The breastfeeding report relies on economic analyses by Australian National University-based Dr Julie Smith, who calculated Australian mothers produce about 34 million litres of breast milk a year. The milk was then costed based on its market value in "milk banks" in Europe.

Dr Smith estimates the "capital stock value" - the entire present and future worth - of breastfeeding to be $37 billion. If Australian women breastfed according to WHO standards, that value would increase to $100 billion, Dr Smith said.

"Economics is about the efficient use of resources," she said. "At the moment were wasting resources on producing (formula) milk, and on pediatricians looking after babies made sick by not being breastfed."

Dr Smith said the economic evaluation was a way of demonstrating mothers work mattered. "We all recognise that breastfeeding is about more than the milk, its about the transfer of love. But that language doesnt speak to some people."
 
 


Última atualização: 12/5/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
22 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital