Aleitamento.com
AmamentaçãoMãe CangurúCriançasCuidado PaternoHumanização do PartoBancos de Leite Humano Espiritualidade & Saúde DireitosProteçãoPromoçãoILCA / IBCLCConteúdo ExclusivoTV AleitamentoGaleria AMNotíciasEventosSites e BlogsLivrariaCampanhas
 
Faça seu login e utilize ferramentas exclusivas. Se esqueceu a senha, acesse o "cadastre-se" e preencha com seu e-mail.

NASCER por CESÁREA: MAIS RISCO de MORRER

Por: BBC Brasil - setembro/2006

   

No Brasil, cesarianas representam 34,5% dos partos
 
Bebês de cesariana têm mais risco de morte
 
 
 
Uma pesquisa realizada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos indica que bebês nascidos por cesariana têm três vezes mais chances de morrer no primeiro mês de vida do que crianças nascidas em parto natural.

Segundo os autores do estudo, publicado na revista especializada Birth, a descoberta é fundamental em um momento em que mulheres do mundo inteiro optam pela cesariana.

No Brasil como um todo, de acordo com números do Ministério da Saúde de 2004, a taxa de cesarianas está em 34,5% dos 2,5 milhões de partos realizados.

Na rede de hospitais particulares, esse número sobe para 71,5%.

Os cientistas analisaram 5,7 milhões de nascimentos, inclusive de mulheres que não corriam riscos e que mesmo assim preferiam a cirurgia.

Fora do útero

Segundo os pesquisadores, o trabalho de parto natural ajuda a preparar o bebê para a vida foram do útero.

Além de ajudar a expelir líquido dos pulmões do bebê, o processo também promove a liberação de hormônios que melhoram o funcionamento pulmonar.

"O trabalho de parto é uma parte importante do nascimento porque deixa a criança pronta a respirar o ar e a desempenhar outras funções fora do útero", disse Marian MacDorman, uma das autoras da pesquisa.

Mesmo depois de agrupar os bebês estudados segundo o estado de saúde e o status social da mãe, os pesquisadores descobriram que os nascidos por cesariana tinham o dobro de chances de morrer no primeiro mês de vida.

O estudo, no entanto, incluiu apenas bebês nascidos vivos. Os pesquisadores admitem que, se fossem contados casos de bebês nascidos mortos, o risco apresentado por partos normais estaria perto do das cesarianas.

As gestações analisadas no estudo tiveram duração variada entre 37 a 41 semanas.

Risco

Na Grã-Bretanha, a Academia Real de Ginecologia e Obstetrícia disse que as mulheres não devem se alarmar com a nova descoberta, mas precisam estar informadas.

"O risco absoluto ainda é muito pequeno", afirmou James Walker, porta-voz da entidade e obstetra do Hospital Universitário de St. James, em Leeds. "Mas o estudo deveria deixar as pessoas atentas para o fato de que há prejuízos e benefícios em tudo."

Já Belinda Phipps, no National Childbirth Trust, acredita que a pesquisa deve "ser levada muito a sério".

Segundo ela, estudos anteriores já indicaram que bebês nascidos por cesariana têm mais chances de enfrentar problemas respiratórios.

Leia mais sobre esta questão, aqui no www.aleitamento.com:

"Epidemia de CESAREANAS" prejudica mães e bebês

 
RISCO da CESARIANA & CAMPANHA pelo PARTO NORMAL 


Última atualização: 5/7/2011

 

Curtir

Comentários


Essa é uma área colaborativa, por isso, não nos responsabilizamos pelo conteúdo. Leia nossa Política de Moderação.
Caso ocorra alguma irregularidade, mande-nos uma mensagem.

 

Depoimentos

Gostou do site? Ele te auxiliou em algum momento? Deixe seu depoimento, assine nosso livro de visitas! Clique aqui.

Quem Somos | Serviços | Como Apoiar | Parceiros | Cadastre-se | Política de Privacidade/Cookie/Moderação | Fale Conosco
O nosso portal possui anúncios de terceiros. Não controlamos o conteúdo de tais anúncios e o nosso conteúdo editorial é livre de qualquer influência comercial.
Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar no mesmo, está a consentir a sua utilização. Caso pretenda saber mais, consulte a nossa Política de Privacidade/Cookie.
24 Ano no ar ! On-line desde de 31 de julho de 1996 - Desenvolvido por FW2 Agência Digital